Blog

Entendendo sobre catarata: Dos sintomas ao tratamento

catarata sintomas e tratamento - Instituto de Olhos de Florianópolis - Oftalmologista Florianópolis

A catarata ocorre pela perda de transparência no cristalino, uma lente natural que existe em nossos olhos.

Catarata Sintomas e tratamento - Instituto de Olhos de Florianópolis

Os sintomas da catarata não aparecem de repente, eles tornam-se mais perceptíveis com o passar do tempo. No início, medidas simples são suficientes para lidar com a catarata, como o uso de óculos e de uma iluminação mais intensa. Com o progredir da catarata, é comum a pessoa apresentar a sensação de ter uma “névoa” ou um “vidro embaçado” nos olhos.

Isso atrapalha ações rotineiras, como a leitura, a habilidade de enxergar ou dirigir à noite e até a identificação das expressões faciais de outras pessoas, por exemplo.

Quando a catarata começa a prejudicar o dia a dia da pessoa, o tratamento indicado é uma cirurgia de remoção da catarata.

A catarata e os erros de refração (grau dos olhos) não corrigidos são as duas principais causas de deficiência visual reversível, representando 75% de toda deficiência visual, e são mais frequentes entre os grupos etários mais velhos. Não sendo tratada, a progressão da catarata pode levar a uma baixa visual limitante, que pode, contudo, ser recuperada após a remoção da opacidade.

O número de cirurgias de catarata dobrou na última década no Brasil e esta cirurgia é hoje a mais realizada em todo o mundo dentre todas as especialidades.

Entenda tudo o que você precisa saber sobre catarata.

Sintomas de catarata

No início do processo, apenas uma pequena parte do cristalino é afetada e não costuma causar sintomas se não estiver acometendo o eixo visual (centro da visão).

À medida que a catarata evolui, começa a ocorrer uma distorção na passagem da luz através do cristalino. É quando os sinais ficam mais perceptíveis.

Os sintomas mais comuns de catarata são:

  • Visão embaçada
  • Dificuldade de enxergar à noite
  • Sensibilidade à luz e ao brilho
  • Necessidade de iluminação mais intensa para ler ou realizar outras atividades
  • Surgimento de halos ao redor das luzes
  • Mudanças frequentes na prescrição de lentes de correção (óculos ou lentes de contato)
  • Percepção de cores desbotadas ou amareladas
  • Visão dupla em um único olho

Sintomas catarata - Instituto de Olhos Florianópolis

Se notar um ou mais desses sintomas, procure agendar um horário com o oftalmologista.

O diagnóstico da catarata é simples. Além dos sintomas, o oftalmologista vai examinar os olhos do paciente e, especificamente o cristalino, durante a consulta de rotina. Neste momento ele poderá classificar a catarata quanto a sua gradação (incipiente à avançada) e sua localização no cristalino (nuclear, cortical ou subcapsular posterior).

tipos de catarata - Instituto de olhos de Florianópolis

Quais as causas da catarata

Existem diferentes tipos de catarata, sendo a senil, relacionada ao avanço da idade, a mais comum.

O envelhecimento é o principal fator de risco para o desenvolvimento da catarata nos olhos. A partir dos 50 anos, as chances aumentam. A prevalência de catarata senil é de 17,6% nos menores de 65 anos; 47,1% no grupo entre 65-74 anos e 73,3% nos indivíduos acima de 75 anos.

Além da idade, existem outros agentes que favorecem a catarata, como traumas nos olhos, tabagismo, diabetes, cirurgia prévia nos olhos, exposição excessiva à radiação ultravioleta (do sol, por exemplo) e uso prolongado de medicamentos – como corticóides. Em pessoas com diabetes, por exemplo, a evolução costuma ser muito rápida.

São raros os casos de crianças que nascem com catarata. Isso ocorre por herança genética ou caso a mãe tenha contraído doenças infecciosas como rubéola, sífilis ou toxoplasmose nos três primeiros meses de gravidez.

Quando operar a catarata

A decisão sobre a cirurgia deve ser tomada em conjunto com o oftalmologista.

Geralmente, a operação passa a ser considerada quando o paciente começa a perder qualidade de vida por conta da dificuldade de visão; quando há perda de linhas de visão notada no exame oftalmológico de rotina ou, ainda, quando há uma variação rápida na refração (grau dos olhos) o que causa uma mudança frequente na prescrição dos óculos.

Como é a cirurgia de catarata

Inicialmente, é feita uma pequena incisão na periferia da córnea para se ter acesso ao interior do olho, permitindo a retirada do cristalino opaco através da sua fragmentação e aspiração, num processo conhecido como facoemulsificação.

Como o cristalino corrige em torno de 20 graus no olho humano, em seu lugar, é inserida uma lente artificial intraocular, que foi calculada, em exames pré-operatórios, especificamente para aquela pessoa.

cirurgia de catarata - Instituto de Olhos de Florianópolis

Geralmente, não são necessários pontos nesta cirurgia. Ela é feita sob anestesia local associada a uma sedação para tranquilizar o paciente durante o procedimento.

Após a cirurgia, o paciente recebe alta no mesmo dia, precisando retornar ao consultório para o acompanhamento pós-operatório, geralmente, no primeiro dia após o procedimento; entre o quinto e sétimo dia e ao final de um mês. O acompanhamento pós-operatório, contudo, é individualizado de acordo com a indicação do médico oftalmologista e a evolução pós-operatória.

Alguns cuidados são necessários no pós-operatório, como uso de colírios receitados pelo cirurgião. É normal ter algum desconforto por uns dias.

As taxas de sucesso são altas, e a visão costuma melhorar em poucos dias após a cirurgia.

Caso seja necessário operar os dois olhos, o segundo olho será feito posteriormente, com um intervalo médio de duas semanas, e não no mesmo dia.

Quais são os tipos de Lentes Intraoculares?

Na cirurgia de catarata por facoemulsificação, após retirado o cristalino, é inserida uma lente intraocular (LIO) no lugar que, anteriormente, era ocupado pelo cristalino natural.

Essa lente intraocular possui uma determinada potência, calculada nos exames pré-operatórios (biometria), e que substitui os óculos para a distância de longe em alguns casos.

Atualmente, existem vários tipos de lentes para cirurgia de catarata, entre elas:

  • Esféricas: corrige apenas miopia ou hipermetropia, geralmente melhorando significativamente a visão para longe.
  • Asféricas: maior nitidez que as esféricas, porém, também limitam-se à correção da miopia ou hipermetropia, melhorando a visão para longe.
  • Asféricas Tóricas: indicada para pacientes com astigmatismo por ter a capacidade de corrigir além do grau esférico (miopia ou hipermetropia) também o astigmatismo.
  • Asféricas Multifocais: além de melhorar a visão para longe, também reduz a necessidade do uso de óculos para perto.
  • Asféricas Tóricas Multifocais: além das vantagens da lente descrita anteriormente, corrige também o astigmatismo.

De acordo com o exame oftalmológico detalhado, determinado tipo de lente pode ser mais indicado ou até contra-indicado. O médico oftalmologista avalia as opções de lentes, de maneira individualizada, e expõe ao paciente estas opções para uma escolha conjunta da lente.

É necessário lembrar que a satisfação do paciente não depende apenas da execução
precisa da parte técnica pelo médico, mas também da expectativa do paciente, que deve
corresponder exatamente ao que a cirurgia pode proporcionar. Isto só é atingido quando há uma relação médico-paciente muito bem estabelecida.

Riscos da cirurgia de catarata

O procedimento é bastante seguro. Os riscos cirúrgicos são os inerentes a qualquer cirurgia, como infecções e sangramentos.

Às vezes, por receio da cirurgia ou pela dificuldade de acesso a um serviço especializado, algumas pessoas aguardam a evolução da catarata até que haja uma limitação importante da visão e que a doença fique bastante avançada.

Isto não é recomendado, por aumentar riscos, como por exemplo, o aumento da energia necessária para fragmentar o cristalino, que pode aumentar a perda de células endoteliais da córnea, podendo levar a um edema (inchaço) da mesma e, em alguns casos, até a uma descompensação da córnea, com um edema persistente.

No intraoperatório, diante da percepção de sinais de fragilidade ou ausência de sustentação adequada para a lente intraocular, pode ser necessário uma mudança na técnica de fixação desta lente e, eventualmente, um planejamento para esta fixação em um segundo procedimento cirúrgico.

Ficou com alguma dúvida sobre catarata? Entre em contato conosco, agende seu horário e faça uma avaliação.

 

People photo created by lifeforstock – www.freepik.com
Woman photo created by freepik – www.freepik.com

Compartilhar
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

VEJA TAMBÉM

o que é estrabismo - Instituto de Olhos de Florianópolis - Oftalmologista Florianópolis

O que é estrabismo?

O estrabismo pode ser definido como a perda de alinhamento dos olhos. Ele pode ocorrer desde o nascimento por fatores hereditários (mais comum) ou pode

Leia mais
ceratocone - Instituto de Olhos de Florianópolis - Oftalmologista Florianópolis

Ceratocone tem cura?

Saber se o ceratocone tem cura é uma das primeiras dúvidas que o paciente tem ao receber o diagnóstico da doença. A resposta é simples:

Leia mais

Dra. Laura Godinho Mendonça

CRM SC 29192 / RQE 19222

Dr. Leandro de Mello Shinzato

CRM 25181 / RQE 20204

Dra. Lyara Schaefer Sombrio Centenaro

CRM/SC - 20.738 RQE 17479
Atuação: Oftalmologia clínica e cirúrgica, Plástica Ocular e vias Lacrimais

Dra. Alena Tolentino Lopes

CRM 18.740 RQE 13234
Atuação: Oftalmologia geral, catarata, Córnea, cirurgia refrativa, lentes de contato e doenças de superfície ocular